Minha experiência tirando fotos com filme

Eu possuo duas máquinas de escrever, uma de 1958 e outra 1960, não posso ver uma loja de antiguidade que quero passar o dia dentro. Passo horas vendo seriados antigos e jazz dos anos 50 tem sido minhas músicas favoritas. Eu tenho uma alma antiga. Não vou mentir, muitas vezes sinto falta dos anos 90, antes da internet ter se tornado tão popular. Quando o computador não servia nem para trabalhos escolares, porque os professores só aceitavam o trabalho feito a mão. Quando o dia passava mais devagar e sem tanta ansiedade. Eu passava horas escutando meus discos e brincar na rua com os amigos era algo de todos os finais de tarde. Celular? Eu estava no terceiro ano do ensino fudamental quando uma linha telefônica foi instalada na minha casa, e a maioria dos meus amigos não tinham, o melhor meio de comunicação era esperar até o outro dia na escola ou ir até a casa do amigo e conversar pessoalmente. Sempre converso com meu marido de como as vezes sinto falta da calma como a vida era conduzida, das horas de sol no inverno onde você passava seu tempo sentando pensando e aproveitando aquele momento do dia. Por muitas vezes não nos damos conta de como existe barulho no nosso dia, sabe aquele silêncio de quando a luz acaba e não tem zumbido do motor da geladeira, ar condicionado, computadores, televisão, qualquer tipo de corrente elétrica passando? Eu amo esse silêncio, e nós tínhamos bem menos zumbidos em nossas vidas.

Kodak Gold 200

Não estou negando que todo avanço tecnológico trouxe muitos beneficíos para o dia a dia. Há um tempo meu avô fazia anos que havia perdido o contato com a família dele no nordeste, e ele sempre ficava imaginando o que teria acontecido a seus irmãos e parentes. E um dia ele falando sobre isso eu pensei: “Espera aí, estamos na era da internet!” Fui para o facebook e com a ajuda da minha avó que ia me falando os nomes que ela lembrava, encontramos um sobrinho do meu avô, pronto, ninguém mais estava perdido, no ano seguinte consegui até levar meu avô para reencontrar com sua família. Isso é maravilhoso na tecnologia, a distância que separam as pessoas, -como eu da minha família- não é impedimento para estar sempre em contato. Mas o que me incomoda é o exagero!

Kodak Gold 200

Tudo isso me veio com mais intensidade, quando passei a usar nos últimos meses uma câmera analógica para fazer minhas fotos, o prazer de tirar fotos subiu para outro nível. Tirar fotos com filme me leva para esse lugar, de volta para casa, esse lugar de conforto onde a vida era mais devagar com menos ansiedade. Meu modo de tirar foto muda, não pego a camera procurando uma composição perfeita, eu uso ela como usava nos anos 90, para preservar o momento. Não tiro um milhão de fotos do mesmo objeto, tiro a foto e pronto, o que sair saiu, essa será a foto que marcará aquele momento, bem tirada ou não. E quando o rolo de filme acaba, meu coração dispara ao ter que rebobinar o filme e mandar para revelar.

Kodak Portra 400

Existem coisas tão boas de épocas passadas, com tanta qualidade e profundidade que trazem tanto prazer em usar ou ter que não deveriam cair no esquecimento e desuso.

Kodak Gold 200

Outra coisa que ainda guardo dessa época é meu amor por fotos impressas, tamanha reliquía! Eu acredito que se as pessoas não se derem conta da importâncias dessa memória física, chegará uma época em que ninguém terá fotos nenhuma, e uma boa parte da sua história esquecida no tempo. Hoje em dia é tanta foto sem o devido valor adicionado, tira e apaga, como se as fotos fossem irrelevantes. Eu costumo sentar com minha família em torno de uma montanha de fotos, e passamos horas rindo e lembrando do dia em que foi tirada, do momento. Isso já não acontece quando a foto está no computador, o máximo de atenção que recebo é de 1 minuto. Onde estão suas fotos do falecido orkut? Muitas delas eram da sua fase de adolescência, eu tenho apenas as que foram impressas e nada mais. Para mim essa memória física é insubstituível e dura gerações e não apenas a vida útil de uma rede social. Mesmo que você tenha elas no computador, quem vai ver? Quando você vai ver? Até quando seu computador ou celular estará funcionando? Acredite, quando a foto está na suas mãos o sentimento é tão mais profundo e infelizmente estamos numa era em que esse sentimento também está se tornando algo do passado. Tudo é tão superficial!

CineStill 800T

A câmera que estou usando e perdidamente apaixonada por como ela faz eu me sentir é a Pentax K1000, onde eu tenho normalmente 24 ou 36 poses por filme, e tenho que esperar quase uma semana para ter meu filme revelado e poder ver minhas fotos. Tudo isso é nostálgico e maravilhoso.

Fujifilm Superia X-Tra 400

Outra coisa coisa maravilhosa para mim sobre tirar fotos com filme, é que fico tão motivada, que estou bem menos preguiçosa para sair de casa, tenho aproveitado San Francisco muito mais nesses últimos meses.

CineStill 800T

E para fechar o post, nada melhor que um lugar totalmente old school, fundado em 1947 Mel’s Drive-In é um daqueles restaurantes que sobrevive a modernidade e você olha com respeito. Amo esse lugar!

Você também pode gostar...

1 Comment

  1. Não tem como não me emocionar, e minha mente voltando para este passado, tão presente que ficará cravado na nossa mente e coração❤️Bons tempos. Parabéns lembranças maravilhosas. E texto mais que perfeito ❤️

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *