Viajando pela Califórnia

Pegar a estrada e sair sem destino tem sido nosso roteiro de final de semana, sem compromisso com que cidade parar ou que hotel dormir. Apenas sair por um dia inteiro e no final voltar para casa e dormir na própria cama. Tenho amado fazer isso! Amo viajar para longe, mas toda logística para que sua mini férias seja bem aproveitada, não desperta meu entusiasmo.

Sei que vamos viajar para lugares incríveis sempre que possível, mas temos muito o que conhecer aqui, na nossa região. Sempre que saimos por aqui pegamos a estrada em direção a Los Angeles, mas dessa vez saimos no sentido oposto, e como sempre entramos em várias cidade no meio do caminho para vermos um pouco mais da vida de quem prefere morar na tranquilidade do interior.

Ando bem preguiçosa para tirar fotos, mas a seguir tenho algumas fotos desse passeio para compartilhar com vocês que amam pegar a estrada.

Nick’s Cove Deck – Marshall, CA

Sea Lion Rock – Stornetta Public Lands, Poin Arena, CA

Tomales, CA

Marshall, CA

Stornetta Public Lands, Poin Arena, CA

Algum lugar no caminho.

Algum lugar no caminho.

Nick’s Cove – Marshall, CA

Fisk Mill Cove

São tantas coisas diferentes que encontramos pelo caminho, o jeito como as pessoas cuidam, preservam e decoram seu espaço, a casa azul da quarta foto eu achei muito fofa, como já disse no instagram, parece que as pessoas que moram nela são tão felizes que transborda para o exterior, muito cuidado e zelo. Fiquei apaixonada. ❤️

Pinnacles National Park

Mais um parque entrou para nossa lista de visitados. Pinnacles National Park é um parque que consiste basicamente de enormes formações rochosas, o que atrai muitos alpinistas. Suas cavernas é morada de pelo menos 13 espécies de morcegos, as estações do ano mais movimentadas são na primavera e no outono, durante o verão o calor é muito intenso. Eu já achei calor agora no começo da primavera, não quero nem imaginar o verão.

A parte leste e oeste do parque são ligadas por trilhas que podem ser feitas apenas a pé, não tem estradas pelo meio do parque que conecte as duas entradas. É uma trilha bem gostosa de se fazer, com bastante árvores e alguns riachos pelo caminho, você também consegue cruzar por dentro de uma caverna, mas quando chegamos nela estava com o nível de água perto do joelho então decidimos passar por fora.

Dessa vez nossa trilha foi de 16km, com ganho de elevação de 500 metros que mais pareciam 500km de tanto que cansa subir. Confesso que quando estou subindo eu paro por várias vezes pelo caminho e penso: “Porque eu estou fazendo isso? O que tem na minha cabeça quando eu aceito fazer essas trilhas? E a minha vontade é apenas voltar para o carro e ir embora dormir. Mas eu não consigo voltar, eu não consigo desistir e imaginar que estou perdendo algo que vale a pena ver, e eu subo brava comigo mesma por não estar melhor preparada para a situação.

Quando chego no topo, o cansaço parece diminuir e dá lugar a empolgação. Toda a beleza genuinamente formada pela natureza e que eu perderia se tivesse desistido e ido dormir.

Como sempre nossas viagens são rápidas, mas bem aproveitadas. Dessa vez alugamos uma casa numa fazenda e eu fiquei completamente apaixonada pela tranquilidade, pelo silêncio e o descanso que você sente por apenas duas noites em um lugar assim.

As rodovias pelo interior são sempre um espetáculo a parte, você encontra muitas casas abandonadas, carros antigos, objetos que fazem você viajar no tempo e isso me deixa muito feliz, sempre fico fascinada com coisas e objetos antigos e essas viagens para o interior são perfeitas para isso.

Big Basin Redwoods State Park e Highway 1

Big Basin Redwoods State Park. Foto: Ozéias Sant’ana

“Nós viajamos porque precisamos, porque a distância e a mudança de ambiente são tônicos secretos da criatividade. Quando chegamos em casa, a casa continua a mesma, mas algo em nossas mentes mudou, e isso muda tudo.” Jonah Lehrer

Ultimamente estamos seguindo meus próprios conselhos aqui do blog e estamos passeando e conhecendo lugar próximos de onde moramos. Um dia desses eu estava precisando desesperadamente uma longa caminhada no meio da floresta e fomos até o Basin Redwoods. Temos a sorte de morar em um país que se importa com os parques e os preservam adequadamente. Para amantes de trilhas, cachoeiras e árvores imensas, este é um lugar muito prazeroso. Foram 20km de trilhas com ganhos e perdas de elevação. No dia que fomos, encontramos alguns obstáculos pelo caminho, devido a intensa chuva que caiu aqui durante o inverno muitas partes da trilha estavam comprometidas com árvores que caíram, foi preciso escalar os troncos para retornar a trilha, uma outra parte estava completamente destruída, me deu até um desespero achando que teria que voltar todo o caminho já percorrido, mas resolvemos escalar um morro de terra molhada e escorregadio, torcendo que o resto da trilha estivesse em melhores condições, foi uma cena desafiadora e engraçada de se ver. Conseguimos ultrapassar essa etapa, mas o resto da trilha continuou com emoção. Não fizemos muitas fotos, o objetivo era descansar a mente e curtir o lugar. No final não estava conseguindo nem andar, mas a sensação de prazer e missão cumprida valeu todo o percurso.

Highway 1

Outro dia resolvemos sair cedo de casa e fazer uma parte da Highway 1, essa rodovia é maravilhosa porque todo seu trajeto é em torno do mar. Pelo caminho você encontra muitas praias e belezas naturais incríveis. No primeiro ano que viemos para os E.U.A, fizemos 4 dias de viagem por ela e conseguimos chegar até Santa Barbara. Dessa vez o objetivo era apenas passar o dia explorando onde nos despertasse o interesse pelo caminho, depois de tanta chuva por aqui, tínhamos a certeza que encontraríamos um cenário único para apreciar.

Half Moon Bay

E foi exatamente o que encontramos, muito verde, muitas flores, algo que a muito tempo não acontecia aqui na região devido a uma seca histórica que a Califórnia enfrentava. A água do mar estava bem escura, mas geralmente são claras e com um toque de azul turquesa lindo.

Pescadero State Beach

Davenport

Na volta para casa, fizemos mais uma parada para apreciar o pôr do sol que estava divino.

Half Moon Bay State Beach

Muito bom sair sem um destino, apenas vagando pela estrada e observando as beleza encontradas.

Inverno no Yosemite National Park

Como já falei em alguns posts, vários lugares que visitamos aqui nos EUA precisam ser visitados em todas as estações do ano. Cada estação deixa o lugar com uma cara nova e você sente como se nunca estivesse o conhecido antes. Logo que voltamos de Montana não estava nos meus planos já viajar de novo, mas meu marido não estava pensando da mesma forma. Me convidou para aproveitarmos o ferido de Martin Luther King e “conhecer” o Yosemite no inverno, eu como uma amante dessa estação não poderia negar um convite para mais neve e mais frio nos meus dias.

Yosemite Village

A primeira vez que conhecemos o Yosemite foi no Outono. O inverno me surpreendeu com a mistura de neve e gelo que encontramos, geralmente quando a neve é recente permanece fofa por alguns dias, mas nesse caso a neve na maioria dos lugares era apenas uma rocha dura branca, eu acredito que devido a grande umidade a neve se transforma em gelo mais rápido, mas talvez seja apenas na minha cabeça que isso faça sentido, essa mudança nos leva a outro cenário incrível, as árvores meio que cristalizam e ficam maravilhosas como na primeira foto, brancas e literalmente congeladas, o formato da neve também vária bastante tem momentos que parecem vários espinhos no chão.

Dessa vez não fomos para escaladas enormes ou caminhadas exaustivas, fomos apenas para apreciar o que a natureza tinha feito nos pontos mais acessíveis. Essa igreja é um dos lugares bastante visitados, tem mais de 130 anos e ainda continua com suas funções normais de adoração, ensinamentos e casamentos.

Yosemite Valley Chapel

Essa paisagem é magnífica, difícil de acreditar que durante todo o tempo você está embutido dentro desse vale andando pelas ruas, olhando desse ponto as árvores encobrem as passagens criadas pelos homens e deixa tudo como se fosse um lugar inacessível.

Tunnel View

Em uma das manhãs geladas, quando olhei para dentro da floresta tudo estava encoberto por um nevoeiro, deixando um ar de mistério parecendo um cenário de filme.

Não importa onde você olha, todos os ângulos te encantam, um desses momentos foi essa paisagem com o reflexo de uma das cachoeiras no rio que já estava lindo com suas texturas de vegetação e neve.

Reflexo de umas das cachoeiras do Yosemite.

Valley View é o mesmo lugar da primeira foto, essa foi tirada apenas na tarde anterior, em questão de horas tivemos outra paisagem para admirar.

Valley View of El Capitan

Alguns dos cuidados que você precisa tomar antes de conhecer o Yosemite no inverno é ter um carro 4×4, a maioria dos lugares um carro 4×4 chega sem precisa colocar correntes nos pneus, o que facilita sua vida demais. Pneus de neve também ajudam bastante, mas se você precisa alugar um carro, dependendo do lugar é difícil de conseguir. Os pés também precisam de cuidados extras, lembre-se, o chão é praticamente todo o tempo com gelo, cair é coisa mais fácil, o bom é sempre se preparar antes de frequentar lugares diferentes do seu cotidiano, existe inúmeros calçados no mercado com garras boas e acessórios que você encaixa no calçado e te proporcionam maior estabilidade nas caminhas. Sem segurança a diversão com certeza acaba.

Espero que esse post tenha feito você viajar um pouquinho comigo e te inspirado a marcar a próxima aventura. Até breve!

Final de ano em Montana

Desde o dia que voltei de Montana tenho pensado em como escrever sobre esses dias maravilhosas que tive. É um daqueles momentos que você não encontra palavras para expressar os sentimentos e a experiência vivida.

Whitefish Lake State Park

Desde criança amo o natal, considero a melhor época do ano, tudo é tão mágico e as pessoas são sempre gentis e caridosas. Sempre desejei que todo dia fosse natal. Umas das coisas que sempre quis, muito por influência dos filmes de final de ano que eu assistia, era passar o natal em algum lugar com neve. Este final de ano pude realizar esse desejo e escolhi Montana para esse momento.

Lake McDonald

A escolha do lugar foi feita por causa de um casal de fotógrafos que acompanho e que viajam o mundo, e depois de algumas idas a Montana, decidiram que seria o lugar certo para chamar de casa. As fotos, o modo como eles falam do lugar e das pessoas, me despertou a vontade de também conhecer Montana.

Em algum lugar na rodovia.

Agora eu não sei o que mais me impressionou, o lugar ou as pessoas. Graças a Deus, em todas as viagens que fizemos até hoje, sempre encontramos pessoas educadas e gentis, mas na região de Whitefish, que é onde ficamos, as pessoas são além disso. Para vocês terem uma idéia, um dos dias em que saímos explorar o lugar já estávamos cansados e voltando para casa, apenas paramos o carro rapidamente para tirar fotos do pôr do sol que estava magnífico, um carro que estava passando pela rua parou e perguntou se tínhamos visto algum animal silvestre e começou a falar como amava morar ali e apontou em direção a sua casa pedindo se queríamos ir até lá para tomar um café, a conversa com ele não durou cinco minutos, ele nunca tinha nos visto na vida, mas isso não o impediu de ser receptivo. Não pense que isso foi apenas um caso isolado, outras pessoas que encontramos nos dias em que passamos lá, são daquelas que fazem você querer ser melhor. Eu me recuso a pensar que tamanha bondade veio apenas dessa época do ano.

A primeira foto desse post foi tirada neste lugar, com esse mesmo fundo de montanhas. O cenário muda todos os dias.

É impressionante como o mesmo cenário ganha nova vida todos os dias, quando saíamos geralmente passávamos pelas mesmas ruas até chegar na rodovia principal, mas todos os dias eu via algo novo e diferente, simplesmente porque o dia estava mais limpo, outros dias tinha sol, outros tinha nevoeiro e a paisagem mudava radicalmente te dando a impressão que nunca tinha passado por ali.

Dias de neve é difícil chegar  a pontos turísticos, mas para mim a rodovia já se torna um, não tem um lugar que você olha que não esta branquinho e em harmonia com as casas, árvores, animais, celeiros e muito mais. Tudo vira atração turística.

Uma simples beirada de rio fica maravilhosa com tantas texturas diferentes.

Conseguiria fácil acordar todos os dias num lugar como esse, onde você olha pela janela e parece estar num conto de fadas, o simples fato de deitar na neve faz você sentir como se o mundo tivesse parado a sua volta e tudo estivesse calmo, é uma sensação indescritível.

Meu ano fechou com chave de ouro, viajar é mais que conhecer lugares novos, é explorar uma parte dentro de você que você nem sabia que existia, é não acreditar no tanto de sentimentos e reações que você externa quando está diante de tamanha beleza.

Mas se você me permite te dar um conselho, não espere juntar dinheiro para fazer a viagem dos sonhos ou perder seu tempo nas redes sociais desejando ter a vida do outro, porque você considera perfeita. Viaje para a cidade vizinha, conheça como a realidade das pessoas a poucos quilômetro de distância da sua já é bem diferente, observe o caminho que te leva ao seu destino, converse com as pessoas que encontrar por esse caminho. Se você não pode ir nem na cidade vizinha, observe a sua volta, nosso planeta é cheio de dias maravilhosos, inúmeras belezas naturais ao nosso redor, não importa que você não esteja num lugar paradisíaco ou no alto de uma linda montanha, onde você está tem nascer e pôr do sol todos os dias, pássaros cantando e a natureza dando um espetáculo a sua volta, apenas tire um tempo do seu dia para apreciar essa beleza que te cerca neste nosso planeta terra.