Final de ano em Montana

Desde o dia que voltei de Montana tenho pensado em como escrever sobre esses dias maravilhosas que tive. É um daqueles momentos que você não encontra palavras para expressar os sentimentos e a experiência vivida.

Whitefish Lake State Park

Desde criança amo o natal, considero a melhor época do ano, tudo é tão mágico e as pessoas são sempre gentis e caridosas. Sempre desejei que todo dia fosse natal. Umas das coisas que sempre quis, muito por influência dos filmes de final de ano que eu assistia, era passar o natal em algum lugar com neve. Este final de ano pude realizar esse desejo e escolhi Montana para esse momento.

Lake McDonald

A escolha do lugar foi feita por causa de um casal de fotógrafos que acompanho e que viajam o mundo, e depois de algumas idas a Montana, decidiram que seria o lugar certo para chamar de casa. As fotos, o modo como eles falam do lugar e das pessoas, me despertou a vontade de também conhecer Montana.

Em algum lugar na rodovia.

Agora eu não sei o que mais me impressionou, o lugar ou as pessoas. Graças a Deus, em todas as viagens que fizemos até hoje, sempre encontramos pessoas educadas e gentis, mas na região de Whitefish, que é onde ficamos, as pessoas são além disso. Para vocês terem uma idéia, um dos dias em que saímos explorar o lugar já estávamos cansados e voltando para casa, apenas paramos o carro rapidamente para tirar fotos do pôr do sol que estava magnífico, um carro que estava passando pela rua parou e perguntou se tínhamos visto algum animal silvestre e começou a falar como amava morar ali e apontou em direção a sua casa pedindo se queríamos ir até lá para tomar um café, a conversa com ele não durou cinco minutos, ele nunca tinha nos visto na vida, mas isso não o impediu de ser receptivo. Não pense que isso foi apenas um caso isolado, outras pessoas que encontramos nos dias em que passamos lá, são daquelas que fazem você querer ser melhor. Eu me recuso a pensar que tamanha bondade veio apenas dessa época do ano.

A primeira foto desse post foi tirada neste lugar, com esse mesmo fundo de montanhas. O cenário muda todos os dias.

É impressionante como o mesmo cenário ganha nova vida todos os dias, quando saíamos geralmente passávamos pelas mesmas ruas até chegar na rodovia principal, mas todos os dias eu via algo novo e diferente, simplesmente porque o dia estava mais limpo, outros dias tinha sol, outros tinha nevoeiro e a paisagem mudava radicalmente te dando a impressão que nunca tinha passado por ali.

Dias de neve é difícil chegar  a pontos turísticos, mas para mim a rodovia já se torna um, não tem um lugar que você olha que não esta branquinho e em harmonia com as casas, árvores, animais, celeiros e muito mais. Tudo vira atração turística.

Uma simples beirada de rio fica maravilhosa com tantas texturas diferentes.

Conseguiria fácil acordar todos os dias num lugar como esse, onde você olha pela janela e parece estar num conto de fadas, o simples fato de deitar na neve faz você sentir como se o mundo tivesse parado a sua volta e tudo estivesse calmo, é uma sensação indescritível.

Meu ano fechou com chave de ouro, viajar é mais que conhecer lugares novos, é explorar uma parte dentro de você que você nem sabia que existia, é não acreditar no tanto de sentimentos e reações que você externa quando está diante de tamanha beleza.

Mas se você me permite te dar um conselho, não espere juntar dinheiro para fazer a viagem dos sonhos ou perder seu tempo nas redes sociais desejando ter a vida do outro, porque você considera perfeita. Viaje para a cidade vizinha, conheça como a realidade das pessoas a poucos quilômetro de distância da sua já é bem diferente, observe o caminho que te leva ao seu destino, converse com as pessoas que encontrar por esse caminho. Se você não pode ir nem na cidade vizinha, observe a sua volta, nosso planeta é cheio de dias maravilhosos, inúmeras belezas naturais ao nosso redor, não importa que você não esteja num lugar paradisíaco ou no alto de uma linda montanha, onde você está tem nascer e pôr do sol todos os dias, pássaros cantando e a natureza dando um espetáculo a sua volta, apenas tire um tempo do seu dia para apreciar essa beleza que te cerca neste nosso planeta terra.

Mais...

Zion National Park

Como todos os parques, Zion não deixa a desejar, tem sua beleza singular e perfeitamente desenhada pela natureza, por onde você olhar consegue deslumbrar o quanto a água e o vento esculpiram as rochas com o passar dos anos. Todos os lados tem formações rochosas imensas que eu não conseguiria descrever em palavras o sentimento de estar diante de tamanha imensidão.

Zion National Park

Mas ele tem uma outra peculiaridade, é um lugar extremamente difícil de fotografar, principalmente amadores como eu, no último ano houve um aumento significativo de pessoas indo visitá-lo, e eu acredito que um dos motivos seja a dificuldade de fazer jus ao lugar por fotos, quando você o conhece a única forma de descrevê-lo a seus amigos e conhecidos é que tirem um tempo e façam uma viagem até o lugar para verem tudo com os próprios olhos.

Foto: Ozeias Sant’ana

O Zion me ensinou que preciso aprender a usar minha câmera corretamente, mas ainda bem que sempre viajo com meu fotógrafo preferido e para a sorte de quem lê esse blog teremos fotos boas para vocês terem um gostinho do lugar.

The Zion Narrows

A caminhada neste lugar começa com toda uma preparação de roupas a prova d’água, calçados para canoagem, meias de neoprene e uma “bengala” para ajudar sua travessia. Como não temos experiência nesse tipo de situação, com correntezas e perigos de enchentes a qualquer momento, – o tempo é imprevisível – preferimos alugar todo equipamento disponível e ficarmos o mais preparados possível. Alugamos nosso equipamento em uma loja especializada, logo na entrada do parque, inclui um vídeo de orientação sobre o que fazer caso as coisas saiam do controle. Dois dias antes tinha acontecido um fluxo enorme de água o que faziam muito tempo que não acontecia, então todos estavam bastante alertas e as águas estavam um pouco acima do normal.

Com estreitas paredes rochosas formando um cânion, o rio fluindo a sua volta, ao mesmo tempo que você tenta se equilibrar também tenta absorver toda a beleza que te cerca, alguns pontos a luz do dia tem dificuldade de penetrar de tão perto que as rochas estão acima de você, faz tudo ficar ainda mais bonito. É uma aventura inesquecível, andamos umas 7milhas (+ ou – 11km), tentando achar os lugares mais fáceis para atravessar e conseguir com que essa caminhada fosse muito bem aproveitada.

Clear Creek

Esse lugar é um pouco menos complicado que o Zion Narrows, aqui você caminha por um rio seco, se o tempo estiver para chuva tem que cuidar porque a qualquer momento ele pode estar cheio. Uma das coisas importantes para você observar no Zion é a previsão do tempo, porque se começar a chover uma boa partes dos pontos são extremamente perigosos, imagine que são valas enormes e que você está dentro.

Emerald Pools

Essa é uma trilha muito gostosa de fazer, o cenário vai mudando aos poucos conforme você vai subindo, daquelas trilhas que você para muitas vezes para admirar tudo a sua volta. Tem cachoeiras, pequenas piscinas naturais e formações rochosas que mais parecem obra de arte.

Canyon Overlook Trail

Depois da primeira subida que quase arranca seu pulmão fora, a trilha é quase o tempo todo nivelada, mais ou menos 1.5km para chegar a está vista maravilhosa.

Canyon Junction Bridge

Você cruza praticamente o tempo todo nessa ponte, mais a melhor hora do dia para fazer uma bela foto é no pôr do sol, a ponte fica cheia de fotógrafos tentando seu melhor click.

Kolob Terrace Road

Um dos dias resolvemos pegar a estrada para dar uma descansada das trilhas, pegamos uma rodovia chamada Kolob Terrace Road que nos levou a vários pontos lindos, nesse momento eu já não sabia mais quando estávamos dentro do parque e quando não estávamos. Um dos pontos ficamos atolados na neve, ainda bem que tinha uma alma caridosa e nos tirou do sufoco.

Esse foi um pouquinho do Zion para vocês conhecerem, muito obrigada ao Ozéias Sant’ana pelas fotos, deixou meu blog muito profissional, sem elas esse post estaria arruinado.

Para quem quiser saber sobre hospedagem clique aqui. Até a próxima aventura.

Mais...

Outono no Yosemite National Park

Outono é uma segunda primavera onde todas as folhas também são flores. (Albert Camus)

Eu não sei se nunca dei a devida atenção as estações do ano, se elas não tem tanta mudança nos lugares onde já morei ou eu realmente estou ficando velha e aprendendo a dar valor as pequenas coisas da vida que nos são dadas de graça todos os anos.

Desde que mudei para San Francisco tenho observado como eles aproveita cada virada de estação. Este ano tive o privilégio de viajar mais vezes e aproveitar mais as estações fora de San Francisco, que é uma cidade relativamente fria o ano todo. Muitas cidades aqui nos E.U.A tem a mudança de estação bastante acentuada, você consegue sentir o frio do inverno onde você tem certeza que todos os membros do seu corpo funcionam porque da muito trabalho para mantê-los aquecidos, o início da primavera com os dias mais coloridos e menos frios, com o outono aprende a apreciar todas as cores que permaneceram estonteantes no calor do verão nos deixarem fazendo um espetáculo com suas tonalidades peculiares. Foi nesta estação que conhecemos o Yosemite National Park e mais uma vez ficamos deslumbrados com tanta beleza disponível na natureza.

Tunnel View

Tunnel View
Tunnel View você consegue ver o El Capitan e Half Dome ao fundo.

Sentinel Dome

Sentinel Dome
Sentinel Dome.

Olmsted Point

Olmstead Point
Pôr do sol no Olmsted Point.

Overhanging Rock

Overhanging Rock
Overhanging Rock fica no Glacier Point, no local tem placas proibindo o acesso a essa pedra, mas vi algumas fotos de 1900 onde até um carro já esteve por ali. É praticamente impossível tirar alguma foto sem uma pessoa em cima dela, se é perigoso eu não sei, mas preferi não ultrapassar o limite permitido.

Glacier Point

Glacier Point
Acordamos super cedo para ver o sol nascer, mas ele estava um pouco tímido nesta manhã.

Tenaya Lake

Tenaya Lake
Tenaya Lake.

Mirror Lake

Mirror Lake
Trilha que leva ao lago estava magnífica com todas as cores de outono.

Tioga Road

Algum ponto na Tioga Road que inclusive é fechada para inverno
Algum ponto na Tioga Road. Essa rodovia fica fechada no inverno devido ao acúmulo de neve.

+ lugares lindo… 

 

 

Foram três dias que passaram num piscar de olhos, alugamos uma cabana super legal dentro do parque, geralmente temos que alugar algum hotel/apartamento em cidades próximas ao parque o que faz você perder bastante tempo indo e vindo. Aqui você encontra informações sobre a cabana.

Mais...

Lassen Volcanic National Park

Cada dia estamos com mais vontade de viver próximos a natureza, é só aparecer um feriado que vamos logo procurar um parque para ir. O escolhido da vez foi o Lassen Volcanic National Park, onde você encontra vulcão adormecido, restos de suas erupções, fontes de águas ferventes, lagos de lama, vapor de enxofre, milhas de florestas, lagos com águas cristalinas e vistas exuberantes. O vulcão que leva o nome do parque, Lassen Peak, teve sua última grande erupção em maio de 1914, e seguiu tendo erupções por três anos. Este parque é um pouco brutal, os principais pontos turísticos faz você soar a camisa para chegar nele, são trilhas enormes e subidas intermináveis.

Topo do Lassen Peak no por do sol
Lassen Peak pôr do sol
Bumpass Hell
Bumpass Hell
Manzanita Lake
Manzanita Lake
Você pode alugar um kayak para dar uma voltinha no Manzanita Lake.
Você pode alugar um kayak para dar uma voltinha no Manzanita Lake.
Pescar nessas águas tranquilas deve ser bem relaxante.
Pescar nessas águas tranquilas do Manzanita Lake deve ser bem relaxante.
Kings Creek Meadows
Kings Creek Meadows
Lake Helen
Lake Helen

Lake Helen fica praticamente na base do Lassen Peak, no inverno quando tem neve esse lugar fica ainda mais deslumbrante.

Emerald Lake
Emerald Lake

Lembre-se de sempre levar água e comida, principalmente se for fazer trilhas, elas podem demorar mais do que você imagina. Fomos no começo de outubro no feriado de Columbus Day o clima estava agradável e não tinha muitas pessoas, gosto bastante quando está assim porque você consegue aproveitar o silêncio e a paz do lugar. Ficamos hospedados em Chester, CA que fica uns 35min. do parque. Aproveitamos cada segundo e foi muito prazeroso o sentimento de satisfação por atingir lugares que não imaginávamos ser capazes, porque como disse no começo algumas trilhas são brutais.

Mais...

Onde se hospedar em San Francisco

Golden Gate Bridge

Esses dias uma amiga me perguntou: Onde ficar em San Francisco? Que pergunta difícil. Resolvi escrever esse post caso você também tenha essa dúvida, mas ele vale como dica para muitos lugares que você viajar.

Cada bairro em San Francisco tem suas peculiaridades, tudo depende do tipo de viagem que você está fazendo, suas preferências pessoais, com quem você está viajando, o que você procura quando viaja. Talvez você seja do tipo que anda o dia todo para conhecer cada cantinho, talvez apenas goste de ficar na vizinhança onde se hospedou e usar muito carro para ir e vir e tem quem viaja a trabalho e quer “turistar” um pouco. São muitas variáveis que te levam a escolher um lugar para ficar.

Encontrei esse link que explica um pouco sobre cada bairro da cidade, o que fazer, onde comer, hotéis na área e mais. Sua pesquisa já pode começar por aí, primeiro veja o bairro que você mais se identifica e que vai encaixar melhor ao tipo de viagem que está fazendo, depois disso, comece a pesquisa mais detalhada sobre o bairro, melhores hotéis ou apartamentos, airbnb é uma opção para quem não gosta de hotéis.

San Francisco Muni

Pesquise sobre o transportes, isso mais uma vez é particular de cada um. Caso queira alugar carro, leve em consideração o trânsito, em San Francisco tem bastante trânsito, estacionar além de ser caro é de perder a paciência até achar uma vaga, se toda vez que você for de um lugar ao outro perder maior tempão no trânsito, sua viagem vai ser metade do tempo dentro de um carro. Ônibus, Uber e andar muito a pé, são as melhores opções na minha opinião. Metro seria uma opção caso as linhas fossem mais longas, não é como New York que você consegue ir em todos os lugares com ele, e você anda embaixo da terra o que não te permite aproveitar o trajeto enquanto passa de um bairro para o outro. Me lembro de ter usado metro apenas uma vez e foi para sair da cidade. Sempre planeje sua viagem, escolha o que fazer cada dia, estime quanto tempo vai gastar para cada coisa, procure colocar lugares próximos para não perder tempo indo de um lugar ao outro no mesmo dia.

Tenho dois bairros preferidos aqui em San Francisco para viagem tipo turismo, um deles fiquei na primeira vez que vim para cá, e o outro amo passear sempre que posso.

SoMa
SoMa

SoMa foi nossa escolha na primeira vez que passeamos aqui – eu e meu marido -, ficamos 30 dias nesse bairro, fica perto da rua Embarcadeiro o que te leva diretamente para os piers, onde tem inúmeras atrações, para Oakland Bay Bridge e vários outros.

Mission District
Mission District

Mission District que é onde amo passear, os dois ficam um do lado do outro, gosto deles porque estão perto de vários pontos túriscos, o que já facilita bastante. Mission na minha opinião é onde fica os melhores restaurantes da cidade, lojas de antiguidades, artes nas paredes, o bairro em si é uma atração.

Quando viajo gosto de fazer coisas de locais, ir onde moradores vão, sentir a vibe da cidade como morador, mas isso depende muito de quantos dias tenho de viagem. Caso os dias sejam contados acho que você ganha bastante tempo fazendo coisas de turistas, conhecendo os pontos mais frequentados, comprando tickets para tours guiados. Um tour que recomendo é o Big Bus Tour, fiz ele uma vez e faria de novo, você escolhe o tipo de tour que quer e como ele vai parando em vários pontos, você pode descer explorar o local e depois é só subir no próximo Big Bus e continuar seu tour.

Independente da escolha de bairro, tenho certeza que vai descobrir muita coisa legal por onde passar e terá muitas histórias para contar de coisas inusitadas que você só vê em San Francisco.

Mais...